Como se dar bem no Melodyne!

É fato que hoje as produções precisam atender a um padrão de mercado exigente. De maneira geral, as músicas têm permitido menos deslizes naturais, por isso lança-se mão de algumas edições, após a captação das tracks.

Uma edição bastante comum é a afinação de vozes. Esse processo geralmente é realizado através de um software, em modo manual (não automático). Existem muitos diferentes programas de afinação no mercado. Eu particularmente gosto do Melodyne, que já está na sua 4a versão.

melo-1
Fig1 (clique para expandir) – a figura mostra a tela padrão do Melodyne 4, logo após a leitura de um trecho de voz.

Vou dar algumas dicas simples, para aprimorar o uso dessa ferramenta, a fim de se alcançar um resultado de afinação dentro dos padrões exigidos e ao mesmo tempo, natural. Esse é o grande desafio dessa prática, soar polido, mas sem artefatos negativos.

1 – Regule uma boa visualização das notas. Isso é fundamental. Dê um bom zoom horizontal (que caiba entre os compassos, mais ou menos, a largura de uma mão) e um bom zoom vertical (que caiba entre as notas, mais ou menos, a largura de um dedo).

2 – Além disso, confira a amplitude de visualização das notas. É um controle que fica no canto inferior direito, que controla o quão espesso é o corpo da nota. Note que esse controle só afeta o aspecto visual, sem alterações do som. Eu sempre utilizo no máximo de amplitude.

melo-2

Fig2 (clique para expandir) – a figura mostra a tela de edição do Melodyne após as configurações dos passos 1 e 2. Repare no canto inferior direito, o controle de amplitude das notas.

3 – Comece posicionando o corpo das notas no grid correto (tomando cuidado para separar notas diferentes, unidas em um mesmo corpo). Depois, ajuste a linha de modulação. Lembre-se! Quanto mais ajustes nesse parâmetro, mais riscos da voz soar artificial.

4 – De maneira geral, percebo que o ouvido dá mais atenção às linhas de modulação no eixo horizontal. São as notas sustentadas pela voz. Se tem dificuldade, concentre-se nesse tipo de situação primeiro. O mínimo ideal, é deixar a linha de modulação de uma nota de sustentação, dentro da faixa daquela nota no grid.

As linhas verticais, geralmente, representam transição entre as notas, ou seja, são transitórias e causam menos desconforto.

melo-4

Fig3 – a figura mostra um trecho sem edição.

melo-3-editFig4 – a figura mostra as edições de afinação do mesmo trecho da figura 3. Note que a linha de modulação (linha trêmula no meio das notas), está um pouco menos acidentada e com transição mais suave entre as notas.

Dica de ouro – para perceber melhor o quanto sua voz está ficando robótica, ou a margem que ainda possui para alterações na linha de modulação, coloque um compressor após o software de afinação. Comprima legal, deixando a dinâmica da voz mais plana. Afine assim. Isso vai ajudar a revelar os detalhes.

A proposta aqui do “Dicas” é ser apenas um drops para começar a clarear as ideias sobre assuntos controversos, mas prometo que em breve irei produzir um treinamento sobre Melodyne. Este é um software que parece complexo no início, mas depois de dominado, será um grande amigo das suas produções! Já me salvou várias vezes, inclusive afinando instrumentos.

Se gostou desse artigo e retribua, por favor, curta nossa página no Facebook e compartilhe esse artigo com um amigo. Obrigado.

 

Quer ser avisado do
próximo artigo? Inscreva-se!