Desafio – mixagem vintage com plugins Abbey Road

Este é um artigo gratuito, mas caso se sinta à vontade, apoie a produção de novos artigos através de uma doação de qualquer valor. É correto e acessível a todos.

Doar

Qual o tamanho da sua biblioteca de plugins? É provável que você seja um maníaco, psicótico, colecionador de tudo que aparece pela frente. Eu sei, também já fui assim e participo até hoje do grupo de anônimos "CCP" (colecionadores compulsivos de plugins) para controlar o vício. Então, hoje eu te trarei a luz.

Ter muitas opções de ferramentas, quase sempre, leva a outro excesso, que é processar demais suas tracks/mix. Então, como um tratamento para esse vício, eu sempre sugiro aos meus alunos, exercícios para manter o foco. Focar na funcionalidade e objetividade, ao invés de gastar um tempo infinito de testes que não levam a lugar nenhum. Eu também curto esses desafios. De vez em quando eu boto a habilidade à prova, mixando apenas com plugins nativos, por exemplo, por aí vai.

Essa semana, diante de todos aqueles plugins da Waves, decidi dar uma zapeada (tinha tempo que não fazia isso) e me liguei que a empresa já fez várias emulações de equipamentos clássicos do célebre estúdio Abbey Road. Dei mais uma pesquisa na internet e percebi que outras empresas fazem o mesmo, incluindo o próprio estúdio, que já se aventurou no universo de plugins, anos atrás.

Aí veio a ideia de um desafio, tentar uma mix utilizando apenas os plugins associados ao Abbey Road, com o objetivo de chegar a uma sonoridade mais vintage. Legal. Foi o que fiz e você confere resultado no vídeo abaixo!

Pra concluir, quero fazer duas considerações. A primeira é que muita gente busca uma sonoridade "vintage" nesses plugins, mas vale lembrar que essa onda vinha em grande parte de algumas limitações técnicas. Logo, tentar trabalhar nesse sentido mais escasso é também uma forma de manter a vibe da coisa.

A segunda é que o excesso de processamento é um dos problemas mais comuns das produção atual e processar menos, por incrível que pareça, exige uma dose de maturidade e até coragem. Quando uma track soa bem, talvez ela não precise de processamento e não tem problema nenhum com isso. Ok?

As tracks utilizadas foram do projeto do Mike Senior, para a seção Mix Rescue da revista americana Sound on Sound e você baixa aqui

Já o meu projeto você baixa aqui e basta jogá-lo para a pasta do projeto acima. Espero que curtam
.

 

Quer ser avisado do próximo artigo? Inscreva-se!